quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

GUERREIRO ESPIRITUAL



 

GUERREIRO ESPIRITUAL



Você já se perguntou, o que eu sou?.

Então, o que eu sou? Se se identificar com a resposta, ela servirá pra você também.

Bem, na verdade, a vida para mim se parece mais com um campo de batalha que com qualquer outra coisa, e minha realidade interior é mais de guerreiro (a) que de alguém piedoso (a). Portanto, se eu tiver de rotular-me de alguma forma (algo que eu procuro evitar), diria que sou uma "guerreira espiritual".

E aqui está o que isso significa para mim.

Um guerreiro (a) é aquele(a) que entra no campo de batalha com uma saudável dose de medo e uma dose ainda maior de amor. Ele(a) luta por um princípio ou pelo seu rei, e seu amor por eles sobrepuja o medo que sente pela própria segurança.

Ele(a) precisa de coragem e talento, pois está arriscando sua própria vida. Um guerreiro(a) ama o campo de batalha; é ali que se sente mais vivo. Deve agir o tempo todo com plena consciência e habilidade; até o menor lapso pode provocar sua queda.



O campo de batalha faz surgir no guerreiro(a) capacidades e potenciais que ele nem sequer suspeitava existirem dentro de si. E assim, ao lutar, ele está num estado constante de auto-descoberta, auto-observação.

O verdadeiro guerreiro(a) anseia pelo campo de batalha, pois o resto da vida parece, em comparação, um local onde ele consegue apenas concretizar uma pequena parte daquilo que ele é. Portanto, anseia pelo desafio e pelo confronto. Adora viver por um fio. É ali que ele é mais ele, e onde descobre que, na verdade, é mais do que pensa ser.

Os trabalhos com AYAHUASCA-DAIME me coloca nesta experiência. É um encontro com o Todo poderoso(a) dentro de mim, o EU SOU, QUE SOU, o que brilha em mim. É o local da auto-descoberta e do desafio. Exige a bravura de enfrentar quem eu sou e quem não sou. É preciso disposição para ver o potencial de quem eu posso ser, e enfrentar a pequenez de quem eu me permito ser.



Às vezes, como o Rei Arthur, estou lutando contra dragões interiores e exteriores; ou desafiado por feras que ameaçam me devorar com sua fúria e temor; às vezes estou lutando pela minha própria sanidade, tentando reconciliar o mundo real com um mundo que não pode ser visto, ouvido ou tocado; o meu UNIVERSO INTERIOR, aquele que eu criei a Milênios passados e que faz parte de mim.

Como guerreira espiritual, quando sou abençoada por estar vivendo no meio do campo de batalha, eu estou plenamente viva, lutando no limite daquilo que eu sou. Não importa se estou em prece, dentro do ônibus, ou sentada trabalhando no computador. O campo de batalha inclui meus relacionamentos pessoais, meus desejos interiores, minha conta bancária estourada, e minha constante falta de sono, meu jeito de estar sempre em movimento. Abrange minha união marital e meu emprego. Minha frustração, paciência, inveja, luxúria e ganância. É um estado de espírito, uma disposição de encontrar Deus em todos os lugares e de encontrá-Lo plenamente, permitindo-Lhe penetrar nos mais profundos recessos de quem eu sou, e descartar todas as imagens de quem eu penso que sou.

A cada vez, e há muitas dessas vezes, que eu confronto o imperativo daquilo que devo fazer com a relutância daquilo que eu quero fazer; a cada vez que eu devo transformar pensamentos e atitudes formadas durante anos de vida e condicioná-las em pensamentos sagrados e atitudes sagradas, eu estou no campo de batalha.

Sou uma guerreira espiritual quando sinto plenamente o meu desespero, e encontro a esperança para seguir em frente. Quando me sinto traída, e mesmo assim descubro minha confiança.

Quando subo mais alto do que deveria, então fracasso e caio, apenas para descobrir que aterrissei num ponto mais alto do que aquele de onde eu subi.

Neste campo de batalha chamado MEU MUNDO INTERIOR, sou esticada até o limite somente para descobrir que o meu limite não é aonde eu pensava que era. Estou viva neste plano de 3 dimensões e crescendo, mudando, em constante processamento. Assustada e empolgada. Ansiando pela vitória e não tendo a menor idéia do que isso significa e de como consegui-lá, pois os caminhos são tantos, e alguns são tão difíceis.

Nas minhas subidas e descidas, eu subo um pouco mais, e nesta tentativa de crescer sempre, é que sinto, TENHO MUITOS AMIGOS, e muitos seres que me estão ajudando sempre.

CONFIA, CONFIA, CONFIA

Ivani Teixeira de Andrade.