segunda-feira, 25 de abril de 2011

A partida de Sri Sathya Sai Baba: Life & Legacy - I

O Lider espiritual Indiano Sri Sathya Sai Baba, partiu desta dimensão nesta Pascoa (abril/2011).



Texto por Mikhael Narduci 

Morreu, na manhã deste domingo, Sathya Sai Baba, o mais famoso guru indiano dos últimos tempos. Ironicamente, este Homem de Milagres libertou-se de suas amarras terrenas justamente no dia em que se comemora a ressurreição de Cristo. Mas... Homem de Milagres? Eu não sou e nunca fui um adepto do movimento Sai Baba, mas sim um grande admirador de seu exemplar trabalho. 

Homem de Milagres, sim, por suas obras e testificações do Amor Divino. O verdadeiro milagre está em transformar o mundo com seu exemplo. Se Sai Baba realmente era capaz de materializar itens, como acreditam seus adeptos, não ponho em questão, pois não são estes os milagres que realmente atesto em sua vida. 

Atesto como milagre a transformação que Sathya Sai realizou na Índia, com Obras multibilionárias (como a criação de todo o sistema de saneamento básico do gigatesco país, que custou US$ 14 bilhões). Suas palavras de Amor e Liberdade foram capazes de transformar a vida de seus 6 milhões de seguidores ao redor do mundo, mas as vidas realmente transformadas foram as dos alunos dos Centros de Educação Sai Baba, que englobam desde creches até universidades, e vêm transformando há décadas a educação na Índia. 

Hoje, programadores indianos fazem parte dos maiores projetos de software ao redor do mundo, seus cientistas estão liderando algumas das principais pesquisas em áreas médica, física e química, e a grande maioria da população indiana fala inglês fluentemente, tudo graças aos Centros de Educação Sai Baba. 

Por isso, e por coisas que só eu posso sentir, 
Obrigado, Sai Baba. 

Para finalizar, o pensamento Sathya Sai para o dia de hoje: 

"Algumas pessoas fazem a objeção de que Karma Yoga (a disciplina espiritual da ação) envolve muita tensão. Eles dizem, “Eu procurei só fazer o bem a eles, mas eles ignoraram meu desejo e tentaram me injuriar”. Tal desapontamento faz a pessoa perder o interesse na atividade. Alguém quer fazer o bem esperando obter contentamento disso e distribuí-lo. Quando tal contentamento não surge, o desapontamento aparece. Mas a lição que o Karma Yoga ensina é pratique o Karma como Karma por causa do Karma. Por que o Karma Yogi preenche suas as mãos com trabalho? Essa é sua verdadeira natureza. Ele sente que é feliz enquanto executa o trabalho. Isso é tudo. Ele não barganha para obter resultados. Ele não é motivado por qualquer cálculo. Ele dá, mas nunca recebe. Ele não conhece sofrimento, nem decepção, pois não esperava qualquer benefício."