quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

A dor da desprogramação

por Laura Botelho


Tenho recebido nesses últimos meses muitos relatos de pessoas que comentam estar passando por um sentimento, uma sensação de vazio em suas vidas, muitas vezes indescritível...
Essas pessoas não conseguem descrever essa sensação, pois ela está aquém da compreensão humana (consciente) - pelo menos para aqueles que estão vivendo essa era, essa época, essa fase de ciclo.
A melhor e mais fácil definição para esse pensamento é a DEPRESSÂO. Uma palavra que engloba tudo aquilo que não conseguimos explicar nessa vida moderna. Quando não se sabe o que está sentido, logo, só pode ser = depressão.
Quero alertar a vocês que depressão é uma palavra símbolo que expressa MEDO. MEDO, MEDO de tudo. E quando não sabemos do que temer – conscientemente – atribuímos a isso a sensação de vazio, pois acreditamos que só se pode ter medo daquilo que nos cause perigo físico. Aquilo que nos coloca em risco de morte ou danos irreparáveis físicos...
Você está de saco cheio?!
Está com raiva, uma ira profunda de tudo que o cerca?
O disparador universal da ira é a sensação de estar em perigo.
Esse perigo nos dá medo e como somos diferentes, alguns ATACAM o primeiro que aparecer, ou FOGEM, vai deitar e dormir o dia todo, aguardando que alguém lhe diga que o pior já passou...
A depressão é ansiedade daquilo que não sabemos lidar futuramente. Ficamos tão equivocados com nossos sentimentos que passamos a usar os sentimentos que temos em nossa formação pessoal, individual.
Esse medo do FUTURO não necessariamente pode ser de uma AMEAÇA FISICA, mas de uma AGRESSÂO a nossa AUTO ESTIMA ou DIGNIDADE ou a um tratamento INJUSTO, grosseiro, um INSULTO a nossa INTELIGENCIA ou na FRUSTRAÇÂO de nossos OBJETIVOS mais íntimos
Todo sintoma é a expressão de uma falta, nos mostrando algo que falta para a nossa integridade, que falta para nos completar como seres programados que fomos para isso.
Nos deram a polaridade das coisas – bom/mal; feio/bonito; rico/pobre; gordo; magro; alto/baixo; doente/saudável, para que sempre ficássemos a procura de UM dos LADOS, quando devemos estar NO MEIO!
Nos deram a crença RELIGIOSA para nos ensinar a não assumir nossas responsabilidades – delegando poderes a um ser DIVINO, uma entidade que resolveria todos nossos problemas. 


Rogamos a esse ser divino que nos livre de todo mal, pois somos incapazes de fazer isso por iniciativa própria – NUNCA nos ensinaram isso! 


Temos MEDO de falhar! Nos ensinaram a transferir nossas vidas para símbolos. E delegamos PODER para esses símbolos – dinheiro, status, os estudos, os títulos etc...
No mundo de hoje vivemos 24h do tempo sob o medo, nos protegendo de algo, portanto temos um fluxo constante de hormônios do estresse no corpo. 


Essa é a idéia deles. Nos ocupar com problemas para resolver diariamente, pois só assim não voltaríamos nossa atenção para aprender coisas que não devemos exercitar – isso estragaria os seus planos, sua AGENDA.
Sinto informar a todos que estão padecendo desse mal chamado – ‘buraco negro’, vazio, depressão, preguiça, ostracismo, síndrome do pânico, enxaqueca, labirintismo, freqüentes gripes e infecções – chama-se MEDO.
Quem se defende dos ataques externos com consciência
não precisa empurrar o tema para o corpo.
Pessoas que enfrentam a vida abertamente dispõem de uma defesa corporal saudável, sendo menos propensa a infecções. A preguiça nada mais é do que deficiência de energia, gerada por pensamentos indecisos, medrosos e controladores
Estamos cansados, desanimados e desestimulados a prosseguir, a seguir em frente na busca de novas alternativas que nos façam vibrar novamente. Os objetivos de antes não fazem mais sentido hoje.
E esse pensamento tem a ver com deslocamento de energia, estamos gastando maior parte dela para nos proteger de coisas absurdas, hipotéticas, ao invés de crescer, evoluir conscientemente com atitudes e providencias que nos deixe bem, radiantes, confiantes de que há um futuro maravilhoso nos aguardando.  


Há um lugar para onde ir. Há uma nova meta a ser proposta. Um mundo novo dentro desse mundo velho.
Os sintomas nos mostram aquilo que não queremos ver. A doença é um modo de aprender algo sobre você mesmo. Compreender que a doença é o reflexo de seu comportamento, palavras, pensamentos e sentimentos, é um passo para a sua evolução. Comece a fazer algo para mudar – AGORA.
Estamos passando por uma experiência única no momento da humanidade. Estamos descobrindo quem somos, por que somos e para onde vamos e as respostas são totalmente diferentes das que estávamos acostumados a ter anos e anos atrás...
O que você está sentindo é a
desprogramação em sua mente acontecendo.
Isso DÓI, viu !!?

Click na imagem para ver melhor

É uma dor diferente da que estamos acostumados a sentir. É uma sensação que pesa, arranha, embaralha, atormenta e confunde nossa mente já bagunçada. É necessário ser muito, mas muito equilibrado para não pirar.

Não temos informação suficiente (ou que nos convença), para colocar no lugar daquilo que foi deletado. Nosso HD está sendo reprogramado. Isso leva um tempo para refazer. Não é da noite para o dia.
Tiramos velhos conceitos sobre determinismo dos eventos. Deletamos propósitos sem fundamento – do tipo trabalhar, trabalhar, trabalhar para... pra que mesmo, eim? 
Vemos coisas que não víamos antes que estavam na nossa cara. 


Vemos monstros que nos estendiam a mão. Vemos anjos que nunca puderam fazê-lo. Vemos hipócritas por todos os lados. Sentimos compaixão por pessoas que não conhecemos. 


Estamos mais solidários com o que acontece no Uzbequistão, mesmo que nem saibamos onde fica isso!
Estamos mais atentos a chuva que cai na China. Ela sempre caiu, mas agora parece que nos afeta. Nos pegamos tentando entender mensagens de todas as raças, de todas as tribos, de todos os povos, mesmo que eles estejam anos luz daqui. Vejam que mudamos muito. 


Antigamente só tínhamos olhos para nosso umbigo. Para os pneus careca do nosso carro, para o evento dos finais de semana. 


Tem gente que só vive finais de semana! 
Estão mortos de segunda a sexta.
Gente!! Temos que estar vivos todos os dias!!
Tenham capacidade de motivar-se
Persistam diante de frustrações
Controlem seus impulsos materialistas
Adiem suas satisfações mesquinhas e egocêntricas, ajude ao outro.
Regule seu próprio estado de espírito. Não espere que alguém o faça.
Impeça que a aflição, a angustia, o medo invada seu raciocínio
Crie empatia relacionando-se com pessoas fora de seu circulo social. 
Tenha outros mundos, outros horizontes.
Seja agradecido. Agradeça a todos a sua volta por fazerem de sua vida uma rica experiência para seu aprendizado.
Saiba esperar...
Tenham paciência. Falta pouco para que essa angústia passe.
Eu acredito que você vai se sair bem. Como toda enfermidade, depois que os sintomas passam, as coisas ficam lindas, maravilhosas de novo. A gente se enche de vontade de voltar a existir novamente.
Dedico esse texto a minha irmã Ana, que se não fosse por ela, eu já teria desistido...
laura botelho